Por que o Windows é melhor do que o Linux?


Autor/fonte: Roberto Prado



Digg del.icio.us

As empresas enfrentam diariamente o crescente desafio de conseguir que produtos de software de uma grande variedade de fornecedores funcionem e operem em conjunto. Nos últimos anos nossa indústria tentou várias abordagens para conviver com a heterogeneidade do software. Mas a solução que vem se provando mais eficiente – e também apontou ter mais sucesso entre os atuais desenvolvedores – é um compromisso sólido com a interoperabilidade. Esta é a razão básica para se optar pela nossa plataforma, cujo desenvolvimento e inovação estão dirigidos para lidar com toda a diversidade e a heterogeneidade hoje reinante no mercado.

Para esclarecer melhor vamos tocar em dois pontos básicos. Em primeiro lugar, continuamos a suportar as necessidades dos clientes por um software que funcione bem com tudo o que ele utiliza atualmente. Em segundo lugar, estamos trabalhando em conjunto com a indústria de TI para definir uma nova geração de software e de Web services baseados na linguagem XML (eXtensible Markup Language), que permite que o software possa compartilhar informações de forma eficiente. Nosso principal objetivo é aproveitar todo o poder inerente ao atual (ou não tão atual) software de negócios, permitindo que os produtos trabalhem em conjunto para que o todo seja maior que a soma de suas partes.

A interoperabilidade é, freqüentemente, confundida com software de código-fonte aberto. Mas esta se refere à capacidade de diferentes sistemas de software trabalharem em conjunto. O código aberto é uma metodologia de licenciamento e/ou de desenvolvimento de software que poderá ser ou não ser interoperável. Além disso, o desenvolvimento de software de código aberto incentiva a criação de diferentes variáveis de um mesmo tipo de aplicação de software, o que poderia representar, pelo volume de implementações e testes, uma sobrecarga ainda maior no esforço de interoperabilidade.

A substituição total das tecnologias existentes é um objetivo que não é de fácil assimilação pela maioria das empresas. Assim, uma das reivindicações mais recorrentes das empresas, hoje em dia, é conseguir que um novo software funcione em conjunto com seus sistemas existentes. Por isso, a Microsoft investe sistematicamente para que seus clientes possam integrar sua plataforma e suas aplicações com um amplo leque de produtos populares (e menos populares) de hardware, de software e de redes.

Como resultado deste esforço, a Microsoft passou a oferecer um abrangente portfólio de recursos de interoperabilidade de software, desde os sistemas operacionais até aplicações independentes. Nosso software funciona com um amplo leque de tecnologias do mercado, independentemente delas terem sido lançadas há uma semana ou há algumas décadas. Nosso programa se comunica com mainframes e minicomputadores da IBM e de outros fabricantes; com outros sistemas operacionais como o Mac OS e diferentes variantes do UNIX, inclusive o Linux; com redes NetWare ou AppleTalk e protocolos nativos da Internet; com dezenas de linguagens de programação, desde o COBOL e RPG, passando pelo C++ e Java, até as mais novas linguagens experimentais; o software Microsoft se comunica com centenas de bancos de dados, incluindo Oracle, Sybase e DB2; com as conhecidas aplicações de negócios tais como SAP e Siebel; com padrões de mercados verticais como SWIFT e HL7; com sistemas de e-mail; e ainda, com produtos de infra-estrutura que fornecem filas de mensagens, diretórios, gerenciamento e segurança.

O Sistema de Pagamentos Brasileiro é um bom exemplo do poder de integração da linguagem XML, a plataforma Microsoft suporta ainda grandes conglomerados financeiros brasileiros nesse ambiente de complexa interoperabilidade e segurança.

Muitos dos produtos Microsoft, entre eles o Windows, o Office, o SQL Server, o Exchange e o Visual Studio têm grande parte de suas funcionalidades dedicadas à interoperabilidade com outros produtos não-Microsoft. Alguns dos produtos Microsoft de servidor se concentram quase que exclusivamente na interoperabilidade, como por exemplo, o Host Integration Server (HIS) para assegurar a conectividade com o mainframe, o BizTalk Server, para integração heterogênea de múltiplas aplicações, ou ainda o Identity Integration Server, que simplifica a autenticação de usuários e o gerenciamento por meio de sistemas diversificados.

Todos esses produtos são frutos de anos de trabalho de uma companhia que investe cerca de US$ 7 bilhões anualmente em seu centro de pesquisas, que abriga profissionais de todo o mundo, para inovar suas soluções. A Microsoft acredita que uma melhor compreensão das necessidades dos usuários e de seus respectivos ambientes permite que ambos alcancem o seu pleno potencial de produtividade e de geração de negócios.




Enviado por xKuRt em 16/09/2006 às 15:14


Avaliação

Esta publicação ainda não foi avaliada!


Avaliar:


A avaliação de publicações é restrita a membros cadastrados e logados no nosso site.



Comentários

Este artigo ainda não foi comentado ou o(s) comentário(s) que foi(ram) enviado(s) a ele ainda não foi(ram) publicado(s).


Envio de comentário:




  

Domingo, 26 de Outubro de 2014




Top 5 membros

Últimos membros online

Últimos membros cadastrados



Capa do livro
Excel Avançado


Capa do livro
Excel 2010 - Domine A 110%


Capa do livro
Desvendando a Computação Forense





Hostnet

IMD