SindiTelebrasil: tarifas de telefonia e banda larga móvel pré-pagas são baratas


Autor/fonte: Agência Brasil
Tags: [ banda larga ] [ telefonia ]



Digg del.icio.us

Levantamento feito pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) indica que, ao contrário do que apontam os estudos anuais divulgados pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), os preços pagos pelos serviços pré-pago de telefonia e banda larga móvel, bem como da banda larga fixa pós-paga, estão entre os mais baratos do mundo.

No caso da telefonia móvel, tanto os estudos da UIT quanto os SindiTelebrasil referem-se apenas a celulares pré-pagos. “A UIT apresentará [até o final do mês] um estudo que não corresponde aos valores cobrados no mercado brasileiro, a exemplo do que acontece todo ano. Isso acontece porque ela [UIT] considera os preços [teto] que estão homologados na Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações], e não os do mercado, que envolvem promoções e descontos”, disse o presidente do SindiTelebrasil, Eduardo Levy.

No último relatório da UIT, o custo do minuto para ligações feitas de celulares pré-pagos no Brasil estaria em US$0,74. “Considerando que o brasileiro [que usa os pré-pagos] fala 133 minutos por mês, a conta média paga [no Brasil] seria de R$ 220. Esse valor representa 30% do salário mínimo. Todos sabemos que isso não corresponde à realidade brasileira”, afirmou o presidente do SindiTelebrasil.

Citando estudos feitos em 2009 pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), Levy disse que o brasileiro gasta, em média, 1% da renda com telefonia móvel, “independentemente de sua faixa de renda”. No levantamento, o SindiTelebrasil conclui que o preço do minuto nos celulares brasileiros equivale a US$ 0,07 – o que corresponderia à quarta tarifa mais barata do mundo, atrás apenas do valor cobrado na China (US$ 0,02), na Índia (US$ 0,03) e na Rússia (US$ 0,05).

“Precisamos desmistificar essa história de que o Brasil tem uma das mais altas tarifas do mundo. O valor real pago pelo brasileiro é R$ 0,15 por minuto”, afirmou Levy. “Por isso, comparamos nossos preços com os pagos em 18 países, a partir de uma metodologia que considera apenas os cobrados, e não os declarados nesses países”, acrescentou.

Além do Brasil, o estudo considera os preços em cinco países latino-americanos (Argentina, Chile, Colômbia, Peru e México), na Rússia, Índia, China, Austrália, Coréia do Sul, no Japão, nos Estados Unidos, na Espanha, França e Itália, em Portugal e no Reino Unido. Juntos, esses países detêm 55% da população mundial e cerca de 57% dos celulares do mundo.

No caso das bandas largas móvel e fixa, o raciocínio apresentado por Levy é similar. Considerando uma banda pré-paga móvel com consumo de 300 MB, a UIT calcula em US$ 35,80 o valor pago por um plano básico. “Na nossa avaliação, o valor pago é US$ 5,30. Nesse ponto, o Brasil tem o segundo menor preço, acima apenas da Índia [US$1,70]”, argumentou o presidente do SindiTelebrasil.

Em relação à banca fixa, que no Brasil é apenas pós paga, o estudo considera o consumo mínimo de 1GB e velocidade de download superior a 1Mbps. “Nesse caso, os preços também são inferiores aos divulgados pela UIT. Considerando os impostos, segundo a cesta divulgada pela UIT, o custo seria US$ 17,80. Segundo nossos cálculos, esse valor ficaria em US$ 13,20. Ou seja, o Brasil tem a terceira banda larga fixa mais barata do mundo, atrás apenas das da Índia [US$4,5] e da Rússia [US$12,6]”.




Enviado por xKuRt em 08/10/2014 às 13:28


Itens relacionados

Combo do plano de banda larga sairá a R$ 65 ou R$ 69,90, diz governo
Só 3% da população brasileira tem banda larga
Programa de internet banda larga não é "nova estatização", diz ministro
Brasil supera 6 milhões de acessos à Internet em banda larga
Acesso a banda larga no Brasil cresce 8,3% no terceiro trimestre
DirecTV faz acordo para oferta de Internet por linhas elétricas
Projeto quer que Estado regule serviços de banda larga
Telefonia móvel funcionou com restrições em estádio que sediará Copa das Confederações
Revisão de decreto pode contribuir para expansão da banda larga
Concorrência faz acesso com PNBL ficar mais caro e lento

Listar todos itens relacionados

Avaliação

Esta publicação ainda não foi avaliada!


Avaliar:


A avaliação de publicações é restrita a membros cadastrados e logados no nosso site.



Comentários

Este artigo ainda não foi comentado ou o(s) comentário(s) que foi(ram) enviado(s) a ele ainda não foi(ram) publicado(s).


Envio de comentário:




  

Quarta, 26 de Abril de 2017




Top 5 membros

Últimos membros online

Últimos membros cadastrados



Capa do livro
Sun Certified Java Programmer - Guia do Exame SCJP


Capa do livro
Microsoft Exchange Server 2010


Capa do livro
Programando em NCL





Hostnet

IMD