Banda larga: velocidade no Japão é 10 vezes maior que nos EUA


Autor/fonte: Grant Gross, do IDG News Service, do EUA
E-mail/Url: http://computerworld.uol.com.br/comunicacoes/2007/11/13/idgnoticia.200...
Tags: [ banda larga ] [ japão ] [ eua ]



Digg del.icio.us

13 de novembro de 2007 - 11h05

A velocidade média das conexões de banda larga do Japão é 10 vezes mais alta que nos Estados Unidos, enquanto os preços de assinatura são 50% mais altos, de acordo com uma nova pesquisa da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O portal da OCDE fornece detalhes que permitem comparar os serviços de banda larga entre seus 30 membros. Ele compara quesitos como velocidades de conxão, preços e índices de penetração.

Em junho, a entidade classificou os Estados Unidos como o 15º em penetração de banda larga entre os 30 membros da organização, o que garantiu munição para levantar críticas ao presidente americano George W. Bush, que segundo os críticos não estaria fazendo o suficiente para estimular a adoção de banda larga naquele país.

Mas a própria OCDE também recebeu críticas porque, para algumas pessoas, ela não fornecia o quadro completo da banda larga no mundo. Os dados da OCDE misturam conexões residenciais e corporativas, o que dá uma visão incompleta das conexões de negócios nos Estados Unidos, segundo Scott Wallsten,diretor de políticas de comunicação da The Progress & Freedom Foundation (PFF).

"Estou certo de que todos os lados do debate sobre se os Estados Unidos estão na frente ou atrás em termos de banda larga vão encontrar algo para sustentar seu ponto de vista", disse Wallsten em seu blog. "O ponto chave, entretanto, é que a OCDE deve se movimentar para mostrar mais que uma variável de cada país. Mais informações são sempre bem-vindas e eu espero que a OCDE dê esse passo", afirmou.

O país americano tinha, no entanto, um dos mais baixos preços de banda larga em outubro, segundo a OCDE. O preço médio mensal era de 14,99 dólares e chegava a 199,99 dólares nas velocidades mais altas. Apenas quatro dos 30 membros da OCDE tinham preço mais baixo que esse.

Na Suíça, por exemplo, o preço varia de 5,80 a 52,15 dólares mensais, enquanto no Reino Unido, varia de 16,54 a 62,76 dólares. Já na Coréia do Sul, os preços variam de 30,56 a 50,93 dólares e no Japão, oscilam entre 21,22 e 131,57 dólares.

No Japão e na Coréia do Sul, no entanto, as velocidades oferecidas são muito mais altas que nos Estados Unidos. No Japão, o download pode ser feito a 93,7 Mbps, enquanto na França e Coréia do Sul as médias são superiores a 43 Mbps.

Nos Estados Unidos, por sua vez, em outubro, a velocidade média era de 8,9 Mbps, o que o deixou em 19º lugar entre os 30 países. A Turquia e o México foram os países com as menores velocidades, ambas com menos de 2 Mbps.




Enviado por xKuRt em 13/11/2007 às 20:46


Itens relacionados

Norte-americanos passam online metade do tempo livre
Embratel terá "banda larga" para classe C
Japão desenvolverá arroz resistente ao calor e à falta de água
Nos EUA, Gilberto Gil prega cultura do remix e Creative Commons
Agente consular visita brasileiro detido nos EUA após e-mails falsos de bomba em avião
Acesso à banda larga cresce 53% em maio no Brasil
Estado dos EUA intima Google sobre dados coletados via Wi-Fi
Circulação de jornais nos EUA cai 3,6% com concorrência da Web
Americanos poderão programar gravação de TV pelo celular
Europa investe 9 milhões de euros em banda larga via rede elétrica

Listar todos itens relacionados

Avaliação

Esta publicação ainda não foi avaliada!


Avaliar:


A avaliação de publicações é restrita a membros cadastrados e logados no nosso site.



Comentários

Este artigo ainda não foi comentado ou o(s) comentário(s) que foi(ram) enviado(s) a ele ainda não foi(ram) publicado(s).


Envio de comentário:




  

Quinta, 27 de Novembro de 2014




Leitura recomendada

Mobile Game Jam: Vol. 1

Top 5 membros

Últimos membros online

Últimos membros cadastrados



Capa do livro
ASP. NET 4.0 - Curso Completo


Capa do livro
Design Para a Internet


Capa do livro
Desvendando a Computação Forense





Hostnet

IMD